quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Assino em baixo...

"O meu maior sonho...
... É que os meus filhos, quando crescerem, digam (e sintam) coisas maravilhosas sobre nós, os pais, e sobre a infância que tiveram. Porque isso é mesmo o mais difícil. Quanto mais pessoas conheço mais percebo que há gente e gente e gente com esqueletos no armário, fantasmas que atormentam, pais ausentes, pais violentos, suicidas, traidores, dominadores, manipuladores, loucos, ou só mesmo cretinos. Ou então pais que fizeram o melhor que podiam e sabiam mas não foram, em algum momento ou em muitos, compreendidos. Houve uma espécie de lost in translation que os levou para caminhos diferentes.

Por isso, o meu sonho, diria mais, a minha missão é conseguir que os meus filhos digam, quando eu tiver aí uns 105 anos e for gira como uma pêssega murcha: "A minha mãe e o meu pai foram espectaculares, não passamos sem eles, a infância foi feliz e cheia de gargalhadas, temos até hoje uma relação fantástica, sem espinhos escondidos para remover terapeuticamente, fizeram de nós umas pessoas com valor, e queremos que vivam até aos 150 anos, se não der para ser mais." "
 
Texto retirado do blog http://coconafralda.blogspot.com/

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Expectativas... (2)

Expectativa de ter um parto normal às 40/41 semanas: ir para o Hospital já com metade do trabalho feito - ou seja, com já pelo menos 4 dedos de dilatação, prontinha para a epidural...
Resultado: nem sei o que é uma contração... :-( Tive que levar com uma cesariana, bem antes do tempo...
Nada contra, pois estamos ambos bem neste momento...

Expectativa de amamentar pelo menos até aos 6 meses... não está a ser nada, nada fácil...
Desde que nasceu que o meu pequeno é preguiçoso para mamar e, como diziam as enfermeiras na altura, não tinha ainda aprendido essa lição, fruto de ter apenas 37 semanas... Facto é, que ainda não aprendeu essa lição muito bem... Incompetência minha? Não sei... Sei que passado 3 semanas e com o peso muito aquém do esperado, lá fomos socorrer-nos do suplemento...
Agora, já com um mês e 3 dias, ainda não desisti... mas está a ser muito difícil manter a coisa... mesmo porque se ele não é um expert a "puxar" o leite... o leite não será abundantemente produzido...
E estamos nisto...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Expectativas...


Porque não é fácil não as ter...
Criam-se sonhos e imagens que gostaríamos de ver realizadas...
Mas nem tudo é como se quer...
E a vida está e estará sempre pronta a mostrar-nos o quanto diferente e alternativo os nossos caminhos podem ser...
...

domingo, 12 de setembro de 2010

Amamentação...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Cólicas...

Ora bem... e seguindo os conselhos dados e mais alguns, o que ajudou em última instância foi a estimulaçãozita com o cotonete que, verdade seja dita, faz-me muita confusão... mas funciona! E neste caso, é mesmo isso que importa!
As massagens foram óptimas para ajudar a aliviar as dorzitas, assim como para anteceder a dita estimulaçãozita...
:-)
Claro que ele ante-ontem esvaziou, mas já está a armazenar outra vez...
E dito isto, a preocupação do momento já não é apenas do momento, mas sim enquanto isto durar...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Preocupação do momento:


Que ele consiga fazer as suas necessidades...
Tem tido imensas cólicas e conseguir pôr qualquer coisita cá para fora não está a ser tarefa nada fácil desde ontem...
Snif...

domingo, 5 de setembro de 2010

Ficar em casa...

Porque ele ainda é tão pequenino...
Porque se ele tivesse ficado até ao fim do tempo teria ainda e apenas 6 dias ( em vez dos 23 que já conta)...
Porque deixou de ganhar peso, tendo que ser alimentado também com um suplemento...
Porque está sendo acompanhado pelo médico para ver se estabiliza ou se será preciso investigarmos mais o não aumento de peso...
Enfim... e com apenas 23 dias, já toda gente quer que ele saia à rua como gente grande...
Não, diz a mãe chata e egoista, que só afasta o menino do mundo...
Na minha opinião, ele terá muito tempo para conhecer o mundo e o mundo a ele... Neste momento, preocupa-me a sua estabilidade assim como a adaptação ao novo mundo...
Se o mundo fosse tão fácil como estar dentro da barriga...
Faço ideia do difícil que é nascer... ter que comer, mudar roupas, fazer necessidades, sentir frio/calor/fome/dor, e para além disso tudo não conseguir comunicar prontamente o que se quer... 
...

O Dia N - 13/08/2010

Fui para o Hospital na véspera... as complicaçõezitas não se foram embora e antes que piorassem, o melhor mesmo era trazê-lo ao mundo são e salvo... com a mãe também em condições de o acompanhar...
Ao primeiro berreiro dele, seguiu-se o meu de alegria extrema... que foi o melhor sentimento do mundo...
Ainda me emociona, ainda mexe comigo relembrar cada passo, cada etapa, cada minuto até o ter...
Sim... o amor incondicional surge de uma maneira que, inexplicavelmente, queremos tudo, tudo de bom para aquele ser pequenino e indefeso que temos como nosso... nem que não o seja.
E mesmo nas primeiras noites, que deveriam ser para aproveitar e descançar - uma vez que eles pequenininhos ainda dormem tão bem -, são de completa velação e adoração ao bebé... que respira, se espreguiça, abre a boca, chora de vez em quando, sorri - também de vez em quando - e vai-se mexendo, ainda pouco, dentro das suas possibilidades...
E tudo é novo... e para tudo é preciso saber, ou pelo menos aprender...
Desde a mudança de fraldas com direito a mijadela para a cabeça, até ao banho que pensei que nem iria conseguir segurá-lo... tudo, tudo vai-se fazendo e aprendendo...
E mesmo com as noites mal dormidas, com todas as inseguranças e tristezas que possam aparecer, não há sentimento melhor e maior no mundo do que o amor de mãe...
...