domingo, 18 de maio de 2008

Como não fazer " mais do mesmo"?


"Os problemas são vistos como mantidos por eles próprios e porque as pessoas olham para eles como sempre a acontecer"...

Quando temos um problema, frequentemente fazemos ginástica mental, decompondo este em partes, vislumbrando pequenos passos que nos levam ao ponto final: resolução e, por conseguinte, extinção desse problema.

É interessante pensar que nem sempre é preciso focarmo-nos no problema para encontrar soluções. É ainda mais surpreendente quando ao pensarmos que estamos finalmente a resolver um problema, possamos estar a "fazer mais do mesmo" e, consequentemente não estamos a inovar ou a alterar algo em nossas vidas como julgamos estar a fazer.

Passo a explicar:

Segundo Fish & Col:
- Muitas soluções são aprendidas de modo automático;
- Quando as pessoas estão em dificuldade ficam mais rígidas;
- Quando as pessoas estão em dificuldade tornam-se excessivamente lógicas.

Ao ficarmos mais rígidos, vamos utilizar a informação que nos está mais acessível no momento, aquela que nos é mais conhecida e por isso, aquela que nos dá uma maior predictibilidade de sucesso.
Sem sabermos, estamos então a fazer variações de um mesmo jogo... continuamos a subir os degraus, apesar de intuirmos que não chegaremos a lado algum...

2 comentários:

Sónia Pessoa disse...

a dona do teu caminho és tu... e podes chegar onde tu, muito bem, quiseres. Estou aqui para te dar a mão...

beijinho

Sónia

José Miguel Gomes disse...

O teu caminho é apenas um pequeno ramo de uma árvore chamada vida :)

Ai, mas tu queres ver... Estás a pensar de mais amiga... Acredita, olha para mim, sabes onde te levam os pensamentos, a martirização, a culpa? A lado algum... É apenas uma aprendizagem, bastante dolorosa se a vivermos sem olhar para a frente, cientes que tudo isto é uma ilusão :)

Fica bem,
Miguel