domingo, 5 de setembro de 2010

O Dia N - 13/08/2010

Fui para o Hospital na véspera... as complicaçõezitas não se foram embora e antes que piorassem, o melhor mesmo era trazê-lo ao mundo são e salvo... com a mãe também em condições de o acompanhar...
Ao primeiro berreiro dele, seguiu-se o meu de alegria extrema... que foi o melhor sentimento do mundo...
Ainda me emociona, ainda mexe comigo relembrar cada passo, cada etapa, cada minuto até o ter...
Sim... o amor incondicional surge de uma maneira que, inexplicavelmente, queremos tudo, tudo de bom para aquele ser pequenino e indefeso que temos como nosso... nem que não o seja.
E mesmo nas primeiras noites, que deveriam ser para aproveitar e descançar - uma vez que eles pequenininhos ainda dormem tão bem -, são de completa velação e adoração ao bebé... que respira, se espreguiça, abre a boca, chora de vez em quando, sorri - também de vez em quando - e vai-se mexendo, ainda pouco, dentro das suas possibilidades...
E tudo é novo... e para tudo é preciso saber, ou pelo menos aprender...
Desde a mudança de fraldas com direito a mijadela para a cabeça, até ao banho que pensei que nem iria conseguir segurá-lo... tudo, tudo vai-se fazendo e aprendendo...
E mesmo com as noites mal dormidas, com todas as inseguranças e tristezas que possam aparecer, não há sentimento melhor e maior no mundo do que o amor de mãe...
...

1 comentário:

Zé Miguel Gomes disse...

Parabéns... Vive bem o momento, todos os momentos, mereces.

Beijinhos,
do "tio" Miguel