sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Porquê?

Porque vivo em profunda tristeza se só tenho motivos para ser feliz?

Porque todos os meus pensamentos são negativos se tenho todas as ferramentas para que sejam o oposto?

Porque me deixo abater, desanimar, sentir-me a pessoa mais desgraçada do mundo mesmo sem razões válidas para tal?

Porque a minha estima me puxa cada vez mais para baixo, não me deixando progredir nem desenvolver profissionalmente o meu potencial?

Porque me sinto tão sozinha e abandonada se sou eu que me isolo e fujo de todos?

Porque me deixo deprimir tanto?

Porque penso tanto em o quanto seria bom deixar de exisir...

Estou cansada... e farta de me aturar...
...

5 comentários:

A Escorpião disse...

Deus do céu... o que é isto ? Aninhas, amiga! Nem queria acreditar naquilo que estava a ler. Juro que não queria! O que se passa? Não compreendo? Preciso de compreender. Quero estar contigo, preciso de falar contigo, preciso de te ouvir. Tu sabes onde eu estou e o meu tempo chega sempre para ti. Vem ter comigo, senão vou eu ter contigo!

A Escorpião disse...

É verdade... venho aqui deixar mais um comentário.
Liguei-te agora mesmo e nao atendeste!
Por favor, fala comigo.
Eu sei onde tu moras, eu sei onde tu andas e sei o que se sente nestas alturas, por isso! Dá-me noticias senão.... vou-te melgar.

Cidália disse...

Então menina o que se passa contigo,estás num daqueles momentos em que precisamos de viver e alimentar uma certa dor para depois nos permitirmos voltar a ser felizes ou é bem diferente o que sentes?
Queres falar disso? Dá-me um toque..
Já agora aproveito para te agradecer os parabéns que me enviaste por SMS, não percebi logo que eras tu porque não assinaste mas cheguei lá... Obrigada e beijinho

Sónia Pessoa disse...

Estamos a precisar de conversar, quando podes vir a Braga? Vá lá... ía fazer-te bem... uns puxões de orelhas e muitos mimos! Fico à espera que me ligues ou mandes um mail a marcar. Bjo

Anónimo disse...

O porquê de muitas coisas, muitas das vezes nunca se sabe. Os porquês, são sempre uma procura da explicação de algo.
Tu não és pessoa para ter muitos porquês. Tu és uma amiga e uma solução de muitos porquês, mas dos outros, e dos meus. Tu és daquelas pessoas que estão cá para ajudar sempre alguém que precise. Tens sensibilidade para perceber e animar com a tua fragilidade. Com a tua força de vontade de ser e dar. Eu preciso e precisei de ti como verdadeiramente és e como te dás à amizade. Tu tens muito para dar, muitos lugares para percorrer com essa simplicidade contagiante.

Quando alguém, como tu, desiste de algo, está a deixar outras pessoas sem apoio, sem carinho, sem amizade... Sem uma palavra tua de apoio !
De um amigo que gosta de te ver ouvir e rir contigo.
P.s. O teu primeiro paciente.