terça-feira, 23 de junho de 2009

Declaração à minha Lua

Querida e Doce Lua:

Escrevo-te única e exclusivamente com o objectivo para que saibas o que me vai na alma…

Eu amo-te e admiro-te desde o primeiro dia em que te vi…
És uma criação única e maravilhosa que só pelo facto de existires, me faz feliz…

Encontro em ti uma companhia sempre presente, uma amiga que me protege noite, dia, horas e segundos…
Se em desespero, dás-me luz.
Se feliz, abres-me o sorriso.
Se sozinha, abraças-me.
Se acompanhada, observas-me.

Controlas as marés do mundo e controlas as marés em mim…

E a maior vantagem de tudo, é que não és minha… és de todos!


P.S. Esta carta de amor pode ser vista no blog da Cris - Procurar-se

2 comentários:

Cátia disse...

Minha querida,

Como disse por lá, existiria muito mais para se dizer e se amar em ti. Nem sempre é facil ver-se todas as qualidades que temos, não é? Es uma pessoa linda, por fora e por dentro, que é o que mais importa.

Beijinho enorme,
CA

A Escorpião disse...

Se pensarmos que a Lua move a imensidão das marés, como podemos não deixar que ela nos mova a nós. Ele rege o nosso corpo e alimenta a nossa alma... ela faz nascer os nossos filhos e ajuda o seu crescimento.
Quando era mais pequena, vivia nos meus avós, e todas as noites eu vinha ao pátio falar com a Lua, a minha vó achava que era uma fase de adolescencia... eu acho que nao... eu acho que era respeito por algo que eu sabia ser maior que eu.