sexta-feira, 17 de abril de 2009

Marionete

Há dias que não posso nem consigo deixar de me sentir uma marioneta...

O meu patrão lida com a vida das pessoas de ânimo leve... como se a vida delas fosse apenas o trabalho... E não há mais nada para alem disso, ou há????

"Custa um pouco, mas FAZ-SE!!!"
"Não tem ninguém para trabalhar? Arranje!!!"

É violento demais jogarmos com a vida das pessoas como se estas fossem peças de xadrez...
Oh!!!... O Rei derrubou o Cavalo!!!!... TENHO PENA!!!
Como sempre acontece: o mais forte fica na sua "boa" vida e o mais fraco - os bons de coração - saem derrubados... sem vida própria, negligenciando sempre a família, os amigos, os sonhos... tudo em troca de fazer o que se faz bem feito!

E eu... como uma peça do jogo, tenho que cumprir as ordens... por mais que eu diga ao patrão que é uma falta de respeito aos direitos humanos, uma violência...

A questão é: se eu sei isso e se TODA eu sou contra, porque é que eu tenho que o fazer??
Custa-me TANTO!!!
Para além de ser pesado para todos os meus colegas de trabalho, acaba por ser uma violência psicológica a mim própria...

2 comentários:

A Escorpião disse...

Pois é Amiga!
É a velha maxima do : " quem precisa tem de se sujeitar" e os cães grandes sabendo disso " lambem as beiças"; mal de quem faz o papel de intermediário, como nós, que ouvimos a injustiça tentamos justiça-la e ao não conseguir quase pactuamos com aqueles senhores do dinheiro ao acabar por fazer como eles querem!
Salvem-se aqueles que de bons tudo fazem e tudo aceitam ! Reservem-se aqueles que ainda conseguem bater o pé!
Pessoas que além de se sacrificarem pelo trabalho, sacrificam-se por quem está ao telefone quase a medo a dar-lhe a ordem......
Se há trabalho forçado é o nosso e o dos nossos meninos, mas se quem manda olhasse para a frente em vez de olhar só para o umbigo e para a carteira , todos seriamos mais felizes.
Mas pergunto-te: qual é o patrão que melhor ou pior não pensa assim??????

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Diz-me quem é esse tipo que eu vou lá dar-lhe uma lição. É claro que convido o Miguel para vir comigo! :P
Eu, provavelmente, ter-lhe-ia mandado dar uma volta ao bilhar grande. O problema são sempre os compromissos financeiros. Já viste como somos escravos de um sistema que está absolutamente decadente de valores morais e financeiros.
Amiga, eu estou farta de te dizer que procures. Não custa nada procurar. E podes sempre encontrar. Mas o melhor mesmo é que te tornes a tua patroa...

Um beijo bem grande e Força!